O pau da cabeleira de António Lobo de Carvalho

Soneto de António Lobo de Carvalho, poeta vimaranense do séc. XVIII

Guimarães em 1867

Barcelos, Guimarães e a Conquista de Ceuta

A Planta de Guimarães de 1569

Como eram diferentes, as Nicolinas, antigamente

Nicolinas

Os limites da cidade de Guimarães em 1853

Os Lusíadas da Sociedade Martins Sarmento (6)

Os Lusíadas da Sociedade Martins Sarmento (5)

Os Lusíadas da Sociedade Martins Sarmento (4)

Os Lusíadas da Sociedade Martins Sarmento (3)

"... Porque tanto amamos a nossa Guimarães?"

"O tempo que se perde, não se torna mais a achar"

Os Lusíadas da Sociedade Martins Sarmento (2)

Os Lusíadas da Sociedade Martins Sarmento (1)

Martins Sarmento, por Raul Brandão

Como António Lobo de Carvalho ganhou uma casaca nova

Do nascimento de António Lobo de Carvalho

Desde que nasce o sol até que é posto

Traços de Guimarães

Guimarães: mãe ou madrasta?

Com tecnologia do Blogger.