11 de setembro de 2009

O Desafio de 2012 (5)

[Ler texto anterior]

O tema da memória está no centro da ideia para Guimarães, Capital Europeia da Cultura. Porque, no quadro das representações simbólicas, Guimarães assume, naturalmente, a condição de capital histórica de Portugal. Aqui, a presença da História é fortíssima, constituindo uma das nossas marcas identitárias mais vincadas. A nossa tradição historiográfica também é assinalável. Mas falta uma História de Guimarães (a melhor monografia de história local de que dispomos, do Padre António Caldas, já tem quase 130 anos). Fará todo o sentido acreditar que a CEC será uma boa oportunidade para se colmatar essa lacuna. A recente experiência da obra colectiva Minho. Traços de Identidade pode dar indicações preciosas quanto ao processo de construção de uma obra com a qualidade e a dimensão que se impõem.
Partilhar:

0 comentários: