7 de maio de 2013

As Poesias de António Lobo de Carvalho (16)


Aos anos da Ex.ma Snr.ª Condessa da Calheta.



Minerva esta manhã (que alegre dia
Não promete este sonho assinalado!)
De Amor ao grande templo consagrado
Com gestos de prazer me conduzia:

Entre piras flamantes, onde ardia
Um santo afecto ao Númen dedicado,
Outra Deusa então vi, maior que o Fado,
Que a mão benigna a todos estendia.

Marilis era a única aplaudida,
De Óbidos e Calhetas lusitanos
Ilustre ramo, esposa esclarecida:

O sólio honra dos avós ufanos
Com vinte e quatro jóias guarnecida,
Que é o número certo dos seus anos.
Partilhar:

0 comentários: