20 de abril de 2011

Água é Património


No âmbito das comemorações do Dia Internacional dos Monumentos e Sítios, o Arquivo Municipal Alfredo Pimenta tem patente ao público, desde o passado dia 18 de Abril, a exposição "Água é Património", concebida a partir do livro Mãe-d'água: centenário do abastecimento público de Guimarães, editado pela Vimágua em 2007. Trata-se de uma obra que tem tido uma circulação quase restrita e que agora é finalmente posta à venda, no local da exposição. É um trabalho criado a várias mãos (os textos são meus e dos geógrafos Francisco Costa e António Bento Gonçalves e a fotografia é de Eduardo Brito) e pretende ser uma homenagem a todos quantos, ao longo dos séculos, trabalharam para assegurar o acesso à água às gentes de Guimarães.

Com se diz na apresentação da obra, o projecto nasceu da conjugação de dois desafios. O primeiro foi lançado pelo Dr. Santos Simões, na qualidade de Presidente da Direcção da Sociedade Martins Sarmento, para que a Vimágua assinalasse o centenário do sistema de abastecimento público de Guimarães com a reedição do trabalho do Abade de Tagilde sobre a história do abastecimento de águas potáveis, que foi publicado na Revista de Guimarães nos primeiros anos do século XX.

O segundo desafio foi dirigido pela Vimágua, e pelo seu presidente de então, António Castro, a investigadores da Universidade do Minho, para que aprofundassem o conhecimento dos modos de acesso, tratamento, condução e distribuição de água no espaço que nos dias de hoje corresponde aos concelhos de Guimarães e de Vizela.

Mãe-d'água é um livro que se divide em dois capítulos centrais: o primeiro ("Águas passadas"), trabalho de historiador, aborda, a partir de diferentes prismas, a questão da água em terras de Guimarães até ao início do século XX; o segundo, obra de geógrafos, analisa o abastecimento de água ao longo daquele século. Estes textos são complementados por um glossário e uma cronologia da água, bem assim como pelos Apontamentos para a História de Guimarães, do Abade de Tagilde, João Gomes de Oliveira Guimarães, sobre o abastecimento de águas potáveis, um singular e muito actual ensaio histórico sobre o acesso à água.

Como aperitivo para a visita à exposição e para a leitura do livro, deixarei aqui, nos próximos dias, algumas notas esparsas acerca da relação das gentes de Guimarães com a água ao longo dos séculos.

O livro: Mãe-d'água: centenário do abastecimento público de Guimarães. António Amaro das Neves (coordenação e textos), Francisco Costa e António Bento Gonçalves (textos), Eduardo Brito (fotografias) ed. Vimágua/Sociedade Martins Sarmento, 2007.

A exposição: Água é Património, Arquivo Municipal Alfredo Pimenta, 18 de Abril a 21 de Outubro de 2011
Partilhar:

0 comentários: