14 de junho de 2010

Gaivotas em terra (bis)


Ninho de gaivota em chaminé de casa na rua de Paio Galvão, em fotografia de hoje.
(Clic na imagem para ampliar)

 
Em 1828, escrevia António José Leite Sampaio:

"Gaivota (brava) – É própria da água; há-as pretas e brancas. Têm aparecido algumas no Rio de Vizela."
António José Leite Sampaio, "Memória sobre a Ribeira do Vizela", Revista de Guimarães, 110, 2000, p. 240.

Idem 
(Clic na imagem para ampliar)
 
Embora não muito comuns, encontram-se algumas referências ao avistamento de gaivotas por estes lados. Classificavam-nas como aves de arribação. As que têm sido vistas na cidade de Guimarães nos últimos dias (em número que não pára de crescer: primeiro falava-se em duas, hoje já há quem tenha tido, na sua linha de visão, dez dessas aves marinhas), pelos vistos, vieram para ficar. Casa, já têm.
 
Partilhar:

1 comentários:

Carlos disse...

Eu diria: "Ninho de gaivota na chaminé duma casa na rua de Paio Galvão, numa fotografia de hoje."
Cumprimentos
C. Lacerda