Memórias Paroquiais de 1758: Santa Eufémia de Prazins

Igreja de Santa Eufémia de Prazins
Da freguesia de Santa Eufémia de Prazins não temos a memória paroquial de 1758, conhecendo-se apenas o resumo, que replica o que foi publicado, quase uma década depois, no Portugal Sacro-Profano. Esta freguesia confronta, pelo Norte, com o Rio Ave. A sua igreja matriz andava em construção por altura das inquirições, com donativos significativos de João Rodrigues de Freitas, de Segade. A torre será de 1873 , tendo sido mandada fazer por António José dos Santos.
Num apontamento de 1888, o Abade de Tagilde conta que, ainda por aqueles dias, a cada 6 de Janeiro, todo o povo da freguesia se juntava ao pé do cruzeiro, onde rezavam quarenta Padres Nossos e Avés Marias. No final, bebia-se um almude de vinho e a junta recebia 600$000 réis, correndo a despesa por conta da Casa do Outeirinho.
No Museu Arqueológico da Sociedade Martins Sarmento está guardada uma cruz processional românica com esmaltes, do século XII, encontrada na torre da igreja paroquial de Santa Eufémia, que foi oferecida àquela instituição pelo vimaranense Fernando da Costa Freitas.
Cruz processional do séc. XII, de Santa Eufémia de Prazins (frente e verso). Da colecção da SMS.

Santa Eufémia de Prazins
Prazins é aldeia e paróquia do termo da vila Guimarães, e comarca da mesma vila. O seu povo consta de 66 fogos na matriz dedicada a Santa Eufémia.
O pároco é é abade apresentado pela Mitra de Braga, e tem de côngrua 280$000 réis.
Prazins, Santa Eufémia de”, Dicionário Geográfico de Portugal (Memórias Paroquiais), Arquivo Nacional-Torre do Tombo, Vol. 42, n.º 354, p. 171.





Sem comentários:

Com tecnologia do Blogger.