As Poesias de António Lobo de Carvalho (59)

Ao mesmo, por ocasião de uma Função que fez em Sacavém, constou de festa de Igreja, touros etc, querendo ele mesmo ser o Pregador, pediu licença ao Patriarca Saldanha, que lha não quis conceder, porém o Talaia mandando preparar uma cela ridiculamente armada, recitou nela um Elogio a El Rei D. José, a quem se dirigia a dita função.


Pregaste meu Jan-Dias gentilmente,
Contricto Sacavém assim o abona,
E a plebe excommungada então chorona,
De pranto fez no Tejo horrenda enchente.

Julgaram ser da Prédica insipiente
Quem de lança e Cavalo só blazona,
Mas em textos de Rego, Paiva e Pona,
O que aos burros se faz, fizeste à gente!

Duro freio puseste a esse malvado
Saloio, que mudando hoje de trilho,
Pregador te acredita, jubilado.

O que me resta agora é se te pilho
Nas têmporas que vem, feito Prelado

A dar Ordens menores a teu Filho.

Sem comentários:

Com tecnologia do Blogger.