12 de junho de 2013

As Poesias de António Lobo de Carvalho (53)

Ao mesmo Talaia toureando a vez primeira na Parada.



Quem e cá Ferrabraz, ou Dom Quixote,
Nem de Mântua o Marquês, ou Roldão bravo,
Sancho Pança, Roberto do Diabo,
E toda a mais matula deste lote?

Quem é Gramato, cavaleiro Pote.
O Alferes mono, narigão de nabo.
Nem Jan-Gomes, que pica os bois no rabo.
Posto que alguns toureia de capote*?

Vocês todos que são, que num instante
Vos não leve dum sopro malha e saia
Do herói de Sacavém o ardor flamante?

Fugi, bêbados, pois, de alguma vaia;
E vinde à escola do toureador andante,
O doutíssimo, o intrépido Talaia.


*Os bois, que João Gomes toureava de capote, di-lo-á o marido de certa moça que ele namorava, e onde ia quando o outro sabia para fora, etc.
Partilhar:

0 comentários: