18 de maio de 2013

As Poesias de António Lobo de Carvalho (27)


Conselhos ao mesmo Padre Macedo.




Macedo, é tempo de mudar de ofício;
Tu, que eras pregador rijo, excelente,
A testa inclina, escuta paciente
Que eu também de pregar tomo o exercício:

No púlpito explicaste contra o vício
Doutrina santa em frase irreverente;
No teatro és a fábula da gente,
Opróbrio à religião, e a nós suplício:

Com fé quem te há-de ouvir pregar já agora
(Oh Deus de Abraão, oh Númen sempiterno!)
Se divina aclamaste a vil cantora?

Só podes ir pregar ao escuro Averno;
Que essa profana voz ímpia, e traidora,
Não é clarim do céu, é voz do inferno.


Partilhar:

0 comentários: