14 de maio de 2013

As Poesias de António Lobo de Carvalho (23)


Diálogo entre o Padre Macedo e um Cabeleireiro francês, a quem foi encomendar uma cabeleira.



Macedo. Monsieur Sutá, eu quero uma peruca,
Coisa da sua mão, última moda;
Que me cinja a cabeça toda em roda,
E que os crespos me caiam sobre a nuca:

José Pedro de falso às vezes truca,
Faz-me esperar em casa a manhã toda;
Depois à pressa os meus cabelos poda,
E com pós e pomada a testa estuca.

Cabel. Monsieur l’Abbé, vós tendes muita pressa?
Macedo. Se acaso pode ser, faça-ma hoje,
Fort bien, antes que o sol do carro desça.

Presto, Monsieur Sutá, que o tempo foge!..
Cabel. Eu vo-la faço mesmo na cabeça,
Que é irmã das de pau, que estão na loje.
Partilhar:

0 comentários: