8 de março de 2013

Escritores Vimaranenses (31): Gaspar Nicolas



GASPAR NICOLAS, foi (segundo Barbosa) natural de Guimarães, e florescia pelo meado do século XVI.—E.
Tractado da pratica Darismetica ordenada por Gaspar Nicolas e empremida com priuilegio del Rei nosso senhor. — É quanto se vê no frontispício, adornado com o brasão das armas de que usa a casa do Cadaval, iluminado de encarnado nas quartelas e sem coroa, e tendo em roda uma cercadura de figura quadrada. No fim tem a seguinte declaração: Foy acabada demprimir a dita pratica darismetica em a muyto nobre e sempre leal cidade de Lixboa, per Germã Galharde frãces. A qual pratica foy ordenada per Gaspar Nycolas E empremida a costa de Joã fernandes mercador de libros. Aos 6 dias do mes de desébro. Na era do Senhor de 1530. Com priuilegio de sua altesa. — Em 4.º.
Esta é, ao que parece, a primeira edição deste livro. É raríssima, mas com certeza havia dela um exemplar na Biblioteca de el-rei D. João V; segundo testemunha o bibliotecário P. José Caetano de Almeida. Barbosa não teve dela notícia, nem tampouco o colector do chamado Catálogo da Academia, pois que um e outro dão como primeira edição deste Tratado, outra, cujas indicações são as seguintes:
Tractado da pratica da Arismetica. Lisboa, por Luis Alvares 1541. 4.º — Barbosa aponta mais duas edições, uma ibi, 1594; outra, ibi, por Victorino Alvares 1613: creio porém que errou os nomes dos impressores escrevendo Luis Alvares por Luis Rodrigues, e Victorino Alvares em vez de Vicente Alvares. Pelo menos é certíssimo, que tais impressores Luis e Victorino Alvares não figuram de modo algum em nossos fastos tipográficos, nem António Ribeiro dos Santos julgou esta indicação suficiente para abrir a nenhum deles praça na lista dos tipógrafos portugueses, os séculos XVI e XVII, que nos deixou no tomo VIII das Mem. de Litt. da Acad.
Em lugar destas edições de 1541 e 1613, de que não tenho mais conhecimento, nem certeza da sua existência, posso apontar de facto própria as seguintes, de que tenho visto ou possuo exemplares:
Tractado de Arimetica. Quinta edição. Lisboa, à custa de Domingos Martins, mercador de livros. Sem nome do impressor, 1594. 8.° de 147 folhas numeradas pela frente, e mais duas não numeradas, tendo no fim uma vinheta gravada em madeira.
Tractado etc Agora de novo emendado e accrescentado por Manuel de Figueiredo, Cosmographo-mór. Lisboa, por Vicente Alvares 1607. 8.°.

Tractado, etc. Ibi, por João Galrão 1679. 8.º de 154 folhas numeradas só pela frente.
Tractado e Arte de Arismetica para faser um perfeito Contador. Seu auctor Gaspar Nicolas, e emendada e accrescentado por Manuel de Figueiredo, Cosmographo-mór que foi das conquistas destes reinos de Portugal. E no fim com varias curiosidades de Arismetica. Offerecida á ínclita doutora Sancta Catharina pelo procurador Manuel Moreira Martins. Lisboa na Offic. de Bernardo da Costa de Carvalho 1716. 8.° de VIII-312 pág. Nesta, que julgo até agora ser a última, foi suprimida a dedicatória que traziam as anteriores, ao Conde de Tentúgal, fazendo-se de parte dela um Prólogo ao leitor.
Notarei ainda: 1.° que Cenáculo nos Cuidados Litterarios, pág. 248, fala de uma edição de 1551, diversa de todas as que ficam mencionadas, e que até hoje não vi; — 2.° que no catálogo da livraria de Joaquim Pereira da Costa anda descrito um exemplar do referido Tratado com a data da 1519, o que me parece ser erro; estando avaliado o dito exemplar em 200 réis!!
Dicionário Bibliográfico Português, de Inocêncio Francisco da Silva, continuado e ampliado por Pedro V. de Brito Aranha, Tomo III, Imprensa Nacional, pp. 131-132
Partilhar:

0 comentários: