23 de fevereiro de 2013

Escritores vimaranenses (20): Catarina Micaela de Sousa César e Lencastre


D. CATARINA MICAELA DE SOUSA CÉSAR E LENCASTRE, Dama da Ordem de S. João de Jerusalém, Viscondessa de Balsemão, casada com o primeiro Visconde do mesmo título Luís Pinto de Sousa Coutinho, do qual se tratará no lugar competente. — Nasceu em Guimarães a 29 de Setembro de 1749, e morreu no Porto a 4 de Janeiro de 1824. — Ver a sua biografia, escrita pelo sr. J. Osório, e inserida na Illustração, Jornal Universal vol. I, 1845 a pág. 127 e seguintes. Aí vem também um seu.retrato, gravado em madeira, e de execução bem pouco aprimorada.
Das suas poesias, que consta foram numerosas, pouquíssimas chegaram a ser impressas; as de que tenho até agora obtido conhecimento são:
Ode ao Marquez de Pombal Sebastião José de Carvalho e Mello. — Vem no tom II pág. 109 da Collecção de Poesias inéditas dos melhores Auctores Portuguezes. Lisboa 1810, em 12.º. Sem o nome da autora.
Carinthia a Mirtillo, Ode. — Dirigida a Luís Rafael Soyé, e vem no Sonho, Poema Erótico, do mesmo, a pag. IV: traz no fim as iniciais D. C... B.
Soneto, feito pouco depois de receber o sagrado viático. — Imprimiu- se avulsamente no Porto, em 1824, e anda também na biografia supracitada. E quanto a obras inéditas, posso atestar da existência das seguintes, por tê-las visto:
Cora e Alonso, ou a Virgem do Sol. Drama em três actos. Escrito em versos hendecasslabos rimados. O argumento é pouco mais ou menos o da tragédia O Triumpho da Natureza de Vicente Pedro Nolasco; mas difere bastante desta no enredo e episódios.
As Solidões, Poema em dois cantos, do Barão de Cronegk, tradução feita sobre a versão francesa de Huber em versos de várias medidas. Vi uma cópia, que pertence ao sr. F. de P. Ferreira da Costa,
Fábulas: Collecção de Apólogos, de que Francisco Freire de Carvalho fala com elogio a pág. 256 ao seu Ensaio sobre a Historia Litteraria de Portugal. Vi urna cópia em poder do finado A. M. do Rego Abranches Júnior.
Parece que com algum fundamento pode atribuir-se a esta senhora a denominada Apologia das obras novamente publicadas por Francisco Manuel em Paris, que saiu impressa nas obras deste poeta, -acompanhada de notas ou reparos críticos, escritos com bastante azedume, no tomo V da edição de Paris, ou no tomo IV na edição Rollandiana a pág. 229. Ver a este respeito no Parnaso Lusitano a nota que vem no tomo I pag. CXXIV.
Dicionário Bibliográfico Português, de Inocêncio Francisco da Silva, continuado e ampliado por Pedro V. de Brito Aranha, Tomo II, Imprensa Nacional, pp. 63-64
Partilhar:

0 comentários: