4 de abril de 2011

Uma vista de Guimarães em meados do séc. XIX


 Vista geral de Guimarães. Fotografia de Francesco Rocchini (c. 1849-1873).
(Clicar na imagem para ampliar)

Vários amigos me têm colocado questões acerca da fotografia que ilustra este texto. Não se trata de descoberta minha, mas é uma descoberta notável. Conheci-a através do meu amigo Miguel Bastos, que a encontrou nas suas "escavações" em busca das muralhas (e das torres) perdidas de Guimarães.

Trata-se da digitalização de uma prova sobre papel existente na Biblioteca Nacional do Brasil. Faz parte de um "Album pittoresco e artistico de Portugal" que integra a colecção de D. Teresa Christina, mulher de D. Pedro II do Brasil, que a terá adquirido aquando de uma visita a Portugal. O álbum é composto por meia centena de fotografias de paisagens e monumentos. O fotógrafo é Francesco Rocchini, cujo acervo se encontra em Lisboa, na Torre do Tombo. A fotografia, que aparece com a indicação de que teria sido obtida no período entre 1849 a 1873, não é, seguramente, posterior aos primeiros anos da década de 1860. A imagem foi tomada a partir do Monte do Cavalinho. Trata-se da melhor vista geral de Guimarães do século XIX até hoje conhecida. A sua qualidade é, de facto, impressionante. No mesmo álbum, encontra-se uma outra fotografia do Castelo de Guimarães, que logo mostraremos aqui.

Legenda:

1 – Basílica de S. Pedro, à altura ainda sem a torre.

2 – Igreja da Misericórdia.

3 – Edifício onde actualmente se encontra o Café Milenário.

4 – Igreja de S. Paio, demolida no princípio do séc. XX.

5 - Igreja de S. Sebastião, demolida em finais do séc. XIX.

6 – Igreja da Colegiada.

7 - Igreja de S. Dâmaso, desmontada e transplantada para o Campo de S. Mamede em meados do séc. XX.

8 – Rua Caldeiroa.

9 – Pano de muralha, actualmente desaparecido.
Partilhar:

1 comentários:

wheelhouse disse...

Simplesmente fabulosa!