13 de outubro de 2009

Sobre a obra de Soares dos Reis em Guimarães

António Soares dos Reis

A notícia de Samuel Silva para o Público acerca do "achamento" das relíquias de S. Gualter, na Igreja de S. Francisco, em Guimarães, fazia referência a uma imagem da Senhora das Dores atribuída a António Soares dos Reis. Trata-se efectivamente de uma obra daquele artista, que deu entrada na igreja na década de 1870. Esta não foi a única produção do grande escultor para S. Francisco de Guimarães. Saiu do seu escopro, também ,uma imagem do Coração de Maria, paga com esmolas e donativos dos fiéis, que foram recolhidos, segundo João Lopes de Faria, pelo padre comissário dos terceiros de S. Francisco, António Joaquim Teixeira, pelos irmãos Ferreiras de Abreu e por D. Maria de Belém, José e padre António. Deu entrada na Igreja em finais de Maio de 1877, tendo sido benzida solenemente numa festividade religiosa que teve lugar no primeiro dia de Junho desse ano.

Porém, a escultura de Soares dos Reis não conquistaria as simpatias dos devotos (João Lopes de Faria comparou-a a "uma estátua de cemitério"). Seria substituída por outra, mandada fazer em Roma, por um anónimo, ao escultor Giusepe Bernardi, que os jornais descreviam como "afamado e insigne escultor", mas que não deixou grande rasto na História da Arte. Esta imagem seria sagrada na Basílica e S. Pedro de Roma, pelo Papa Leão XII, no dia 9 de Agosto de 1882.

O jornal Religião e Pátria relata que, no dia 26 de Agosto, sábado, ao anoitecer, a nova imagem foi "levada a ocultas e sem o mínimo aparato para a referida capela e depois de colocada no seu altar e convenientemente assente sobro um trono todo refulgente de luzes e todo perfumado de flores, exposta à veneração pública dos fiéis". Segundo João Lopes de Faria, foi "grande a concorrência até altas horas da noite, despertada pelos repiques de sinos, foguetes e música".

No dia seguinte, domingo, de acordo com o mesmo jornal, teve lugar "uma pomposíssima festividade em honra do SS. e Imaculado Coração de Maria, à qual assistiu um numerosíssimo concurso de fiéis, atraídos ali não só pela devoção à Mãe de Deus, como também para verem e analisarem uma formosíssima imagem, que um piedoso anónimo, em substituição doutra pouco atraente e muito imperfeita".

Quanto à escultura do Coração de Maria de Soares dos Reis, foi, nessa altura, retirada dos olhares do público. Segundo João Lopes de Faria, terá sido levada para casa pelo anónimo doador da nova imagem.

António Soares dos Reis (1847-1889) é um dos mais destacados escultores portugueses. Em Guimarães, é autor do monumento a D. Afonso Henriques (1887), uma das suas obras mais conhecidas, adquirida por subscrição pública. Na colecção de arte da Sociedade Martins Sarmento há também uma obra de Soares dos Reis, um relevo representando a morte de Adónis.

Partilhar:

0 comentários: