16 de setembro de 2009

“Afonso Henriques 900 anos depois” - Congresso em Viseu

D. Afonso Henriques. Escultura em bronze de Soares dos Reis (pormenor). Guimarães. Séc XIX (1887).
Da exposição “Os Rostos de Afonso Henriques”, patente na Sociedade Martins Sarmento”.

Começa hoje o congresso “Afonso Henriques 900 anos depois”, onde se promete “debate sobre o nascimento de D. Afonso Henriques em Viseu”, embora o programa das comunicações a apresentar naquele encontro não seja particularmente esclarecedor a tal respeito. De qualquer modo, aguarda-se com alguma curiosidade a revelação de nova documentação sobre o assunto, de acordo com declarações do comissário da iniciativa, que já avançou que “Viseu tem documentação inédita sobre o nascimento de D. Afonso Henriques na cidade", frisando que “ela será discutida, com mais profundidade no congresso”.
Partilhar:

4 comentários:

AJ@ disse...

Também eu aguardo... mas a fonte não é deconfiança.
É certo que é uma tese mas é a única, até hoje, fundamentada em documentação e não uma lenda escrita ou tradicão oral.
Muita saúde para si, e um "Viva" para o Rei Fundador.

aan disse...

A "única" tese fundamentada em documentação e que resolva o problema, em definitivo, ainda está para aparecer. Se aparecer.
Esperava-se que fosse agora, com a apresentação dos tais documentos que prometeram. Confesso a minha desilusão.

AJ@ disse...

O "Diário de Viseu" que não tem edição diária, como o nome sugere, publica imensa "asneirada". Pode ter sido o caso, mais uma vez...

aan disse...

Da credibilidade da fonte da notícia saberá, certamente, muito mais do que eu. Sempre que num jornal encontro citações entre aspas, presumo o óbvio: que foram feitas pela pessoa citada. A estas declarações encontrei várias referências, em vários locais, mas não vejo que tenham sido desmentidas. Portanto, podendo presumir em erro, presumo que sejam autênticas, até porque estão em linha com outras igualmente incompreensíveis como a exigência ao Estado (via Ministério da Educação) da imposição de uma verdade oficial (aliás em relação a matéria sobre a qual não existem quaisquer certezas nem consenso entre especialistas, apesar de se propalar o contrário.