Avançar para o conteúdo principal

Mensagens

A mostrar mensagens de Janeiro, 2015

Isto não é um conto de crianças

Hoje, Dia Internacional em Memória das Vítimas do Holocausto, é um bom dia para reflectirmos sobre o legado dos povos europeus na construção da identidade europeia. Dos gregos e dos alemães, por exemplo. Há 100 anos a Europa assistia, estupefacta, à mais brutal de todas as guerras, com o emprego de armamentos nunca antes usados em guerra. Eram os líderes da Alemanha, que a julgavam maior do que o seu território, que empurravam o seu povo para uma guerra de conquista de “espaço vital”. A ambição imperialista alemã seria derrotada, as pesadas sanções aplicadas pelos vencedores não passaram de letra morta e, em boa verdade, prevaleceu a tolerância europeia. Mas haveria de renascer, já na década de 1920, em muito pior. A Alemanha reergueu-se das cinzas e voltou a construir o exército mais poderoso do Mundo com que haveria de escrever algumas das páginas mais brutais e ignominiosas da história do Homem. Mais uma vez derrotada, seria tratada com generosidade e grandeza pelos vencedores. E e…

Há petróleo no Toural?

És tu, Banco do Minho, que nos levas a água e as minas de petróleo? O petróleo, oh! sim!... e não bastava isto: no cofre forte achaste — oh! grande, imensa sorte! — do petróleo ao pé a água que, pelo visto, não é água vulgar, mas antes... água forte... Gaspar Roriz, Bando Escolástico de 1924

O excerto do pregão do pregão nicolino recitado no dia 5 Dezembro de 1924 que vai acima há muito que me intrigava. O é que o bom do padre Roriz quereria dizer com aquela imagem do petróleo achado no cofre forte do Banco do Minho? Na altura em que li o pregão pela primeira vez, depois de gastar algum tempo a tentar perceber qual o segundo sentido que se figurava naqueles versos, acabei por desistir, conformando-me a ficar sem perceber. Por estes dias, ao procurar notícias sobre a Escola Industrial, fiquei a perceber que, afinal, a referência a minas de petróleo não era figurada, mas sim literal. No dia 13 de Agosto de 1924, quando os pedreiros trabalhavam na obra de rebaixamento do prédio onde anteriorme…