21 de junho de 2013

As Poesias de António Lobo de Carvalho (58)

Ocasionado pela vista da inscrição nobre ócio, que João Gomes fez pôr sobre a boca do teatro do Salitre.


  
Certa noite, com os pés ao fogareiro,
Deu João Gomes balanço ao seu contrato;
Calculou grossos lucros do aparato,
Que inda estão nos poedouros do tinteiro:

Viu o Nobre ócio em ócio verdadeiro,
Falido o jogo, a casa sem barato,
Viu o filho patau de bola chato
Indigno sucessor dum pai matreiro:

Nestes vexames, que Bernarda sente,
Busca o Talaia, e as forças relevantes
Implora do seu braço omnipotente:

Que guapo assunto para o bom Cervantes!
João Gomes tolinando a toda a gente,

João Dias sempre tolo, como dantes!
Partilhar:

0 comentários: