Avançar para o conteúdo principal

As Poesias de António Lobo de Carvalho (56)

Ao Talaia, laureando por última vez na praça de João Gomes, onde fez a função como se esperava.




Talaia, que tens tu com a padaria,
Que a esquentada trincheira em eco fundo
Desde que há touros bravos neste mundo
Nunca fez tão blasfema gritaria?

Assim que ao duelo o teu José corria
A escovar-te do alfange o pó imundo,
De pedra e lama um ângulo rotundo
A praça entulha; que aziago dia!

Mas logo à tua audácia, ao leu miolo
Os cafres europeus no ardor do saque
Padrões te ergueram feitos do tijolo:

O Neto enfim clamou, bedel do ataque;
Nemine discrepante — “Viva o tolo,

Que hoje fez actos grandes de basbaque!

Comentários