10 de junho de 2013

As Poesias de António Lobo de Carvalho (51)

Aos ilustres progressos da tarde em que toureou meu condiscípulo Talaia.



Neto, capinhas, homens de forcado,
E tu também, rafada padaria,
Vinde todos cumprir uma obra pia,
Lá no campo da Estrela malfadado:

Ali vereis de lixo enlambuzado
Esse Aquiles dos bois, quem tal diria!
Que para vir às mãos da morte fria
Foi de pernas acima pendurado:

Eu lhe vi dar anúncios verdadeiros
Do seu fim, pois com o lenço de cambraia
Disse adeus ao cavalo e aos companheiros:

Fazei-lhe também vós esta zumbaia;
Caiu por terra a flor dos cavaleiros;

Pater noster pela alma do Talaia!
Partilhar:

0 comentários: