23 de março de 2013

Mistério em Gonça



A Revista Universal Lisbonense publicou-se em meados do século XIX. Tinha periodicidade semanal, publicando-se às quintas-feiras. Tinha distribuição nacional e trazia notícias de Portugal e do Mundo, tratando uma grande diversidade de temas: polícia, justiça, artes, ciência, literatura, agricultura, comércio, indústria e todo o género de fait-divers mais ou menos insólitos, muitas vezes fantasiosos, como parece suceder coma história de que trata a notícia seguinte, que narra um estranho caso que teria acontecido em Gonça no ano de 1842.

NOVA RODA DE ENJEITADOS, DO SÉCULO XIX.

Lemos, com assombro, nos Jornais do Porto, que em Guimarães, no monte de Gonça, cerca dele, ou onde quer que o diabo o tentava, um homem bem vestido, e armado de clavina, forçara outro, que acaso passava, para o acompanhar. Que a poucos os passos, chegaram à margem dum ribeiro, na qual jazia deitada uma rapariga - com um recém-nascido, e presos a uma árvore um cavalo arreado e um cão de fila. E logo o homem da clavina, pediu o chapéu, ao que o acompanhara, e tomando nele água do ribeiro, lhe ordenou que baptizasse aquela criança. O homem talvez por medo ou ignorância, não o sabe fazer, mas o outro lho ensina.

Concluída a cerimónia - o da clavina, impassível como um carrasco - trava do infantezinho - faz sinal ao cão de fila - arremeça-lho à boca - e num instante foi tragado! Nada nos dizem do como a pobre Mãe; sobre as dores. do parto, tomou as da morte do filho!

Cabe-nos a pena de mágoa e confusão, quando temos de noticiar tais atrocidades perpetradas por homens de Nação que outrora humanizou Hotentotes, Cafres, e Canibais! O homem forçado, apenas viu isto, abalou sem olhar para trás, e não se sabe o caminho que os dois levaram.

Veremos o que faz a justiça.

Revista Universal Lisbonense, volume 1, 1841-1842, 7 de Abril de 1842, p. 321
Partilhar:

0 comentários: