11 de março de 2013

Escritores vimaranenses (34): Jácome Carvalho do Canto


JÁCOME CARVALHO DO CANTO, Porteiro no Tribunal do Santo Ofício de Lisboa, e sobrinho (conforme diz Barbosa) do nosso primeiro poeta cómico Gil Vicente. — Foi natural de Guimarães, e morreu em Lisboa em 1623, sendo ao que parece, de idade mui provecta.— E.
Pérola preciosa ornada com excellentes documentos, e avisos espirituaes para desterro do peccado e exercício de virtudes. Lisboa, por Pedro Craesbeeck 1610. 12.º - Ibi, pelo mesmo 1616. 12.°. - E ibi, por Domingos Carneiro 1680. 16.°.
Ramalhete de flores espirituaes. Lisboa, por Pedro craesbeeck 1610. 12.° (Anda com o antecedente.)
Exercicio de humildes, para rezar o rosário, e duas coroas de Nossa Senhora, e a coroa de Christo, com outras orações. Lisboa, por João Alvares 1619. 16." (Creio que ha engano no nome do impressor, mas ainda o não verifiquei.)—Ibi, por Antônio Alvares 1645. 24.º.
Livro de rezas, e manual de orações. Lisboa, por Pedro Craesbeeck 1012. 24.°—Ibj, por João Alvares 1657. 12.° (Deve haver engano n'este nome.) E ibi, por Domingos Carneiro 1669. 16.º.
Horas da Cruz de Christo, Arte e apparelho sancto para bem morrer. Lisboa, por Pedro Craesbeeck 1613. 24.º.
Excellencias e louvores do Sanctissimo Sacramento do altar. Lisboa, por Vicente Alvares 1615. 24.º — Ibi, por António Alvares 1645.24.º.
A perfeita religiosa, e thesouro de avisos e documentos espirituaes. Lisboa, por Pedro Craesbeeck 1615. 12."
Coroa das excellencias de Sancto António de Lisboa. Lisboa, por António Alvares 1640. 24.º.
Regra de perfeição de alguns estados, aos quaes se ensina a composição dos bons costumes, etc. Lisboa, por António Rodrigues (de Abreu?) 1675. 12.º.
Todos estes opúsculos místicos são hoje de bastante raridade, e como tais de difícil aquisição. O falecido dr. Rego Abranches teve exemplares de quase todos na sua livraria, e é provável que depois da morte dele passassem com a maior e melhor parte dos seus livros para o poder de Joaquim Pereira da Costa, que os comprou por subidos preços, como já por vezes tive ocasião de dizer.
Pela minha parte, não possuindo algum dos ditos opúsculos, e faltando- me oportunidade para os ver, transcrevi aqui os seus títulos tais como os acho em Barbosa, e no chamado Catalogo da Academia, que daquele os copiou sem alteração, na forma do costume. Creio que há inexactidões nos nomes de alguns impressores, e até em algumas datas; porém não é possível apurar hoje estes pontos. Talvez o farei no Suplemento final.
Dicionário Bibliográfico Português, de Inocêncio Francisco da Silva, continuado e ampliado por Pedro V. de Brito Aranha, Tomo III, Imprensa Nacional, pp. 251-252
Partilhar:

0 comentários: