16 de março de 2013

16 de Março de 1913 -16 de Março de 2013: 100 anos de futebol em Guimarães


O 1.º team Vimaranense

O 2.º team Vimaranense

 Tentativa de resposta a uma pergunta de Santos Simões

Há um século, o futebol ainda não tinha ganho, entre nós, o estatuto de desporto-rei. O próprio nome pelo qual a modalidade jogada por duas equipas de onze jogadores cada, repartidos por dois campos, cada qual com sua baliza, com o objectivo de introduzir uma bola redonda na baliza colocada no limite do campo adversário. Estando interdito o uso das mãos ou dos braços (excepto aos jogadores que defendem as balizas, os guarda-redes), o jogo pratica-se essencialmente com os pés, como o seu nome o indica. Com raízes na Inglaterra medieval, o seu nome original é foot-ball (ou seja, jogo de bola praticado com os pés). Esta designação foi apropriada pelas diferentes línguas, com excepção do italiano, que lhe chamam gioco del calcio (ou seja, “jogo do coice”). Em Portugal, começou por se utilizar o anglicismo foot-ball. Com a crescente popularidade deste jogo, procurou-se o melhor vocábulo para o designar na língua de Camões. Várias possibilidades foram sendo avançadas, como bolapé, ludopédio, pedibola ou o mais erudito balípodo, sugerido por um gramático brasileiro. Nenhum vingaria. Simplesmente, aporteguesou-se a grafia da palavra inglesa. Ficou futebol.

Há um século, o futebol não era, nem de perto, a modalidade desportiva mais popular em Guimarães. Essa condição era disputada pelo ciclismo e pelo tiro aos pombos. Como já vimos aqui, a mais antiga referência ao futebol em Guimarães foi encontrada por Santos Simões, e consta da sua obra Futebol Vimaranense: das origens aos estádios. Trata-se de um anúncio publicado em jornais de Guimarães, em que Avelino Ferreira, que se intitula de capitão do convocando os jogadores do 2.º team do Grupo Vimaranense para um jogo em que o adversário seria o 1.º team do mesmo Grupo. O jogo iria realizar-se no domingo, dia 16 de Março de 1913, a partir das 8 horas da manhã, no court da Atouguia. Não sabemos qual terá sido o resultado o desafio que, tanto quanto sabemos, inaugura a prática organizada de futebol em Guimarães. Faz hoje um século.

Santos Simões procurou resposta para um mistério que o anúncio publicado por Avelino Ferreira no jornal Alvorada de 13 de Março de 1913, e que também saiu na edição de O Comércio de Guimarães do dia seguinte: O que significavam aqueles 1.º e 2.º “teams”?

A luz, ainda que débil, como escreveu, para elucidar este mistério encontrou-a Santos Simões numa fotografia que acompanhava uma crónica de memórias com o título Para a história do futebol em Guimarães, de António Augusto de Almeida Ferreira, inserta na edição de 26 de Janeiro de 1964 do jornal Notícias de Guimarães, com a  legenda que se segue:

1.º e 2.º teams


No primeiro plano, da esquerda para a direita: Casimiro Martins Fernandes, Manuel Pires Maciel, José Martins Fernandes, Gualdino Pereira, Manuel Mendes de Oliveira, António de Sousa Pinto e Alberto de Sousa Pinto, elementos do Sport Clube Vimaranense.

No segundo plano, da esquerda para a direita: equipados - António José Ferreira, Santos. Manuel Guise, Arlindo Souto e Avelino Ferreira Meireles, pertencentes ao Foot-Ball Grupo Vimaranense e mais os instrutores ingleses, à extrema esquerda e direita, e os aficionados Eduardo Teixeira Mendes, Eduardo Costa, José Matos e José Gonçalves.


O 1.º team seria o do Sport Club Vimaranense e o 2.º team representaria o Foot-Ball Grupo Vimaranense. Esta conclusão afigura-se perfeitamente plausível. No entanto, subsistem alguns aspectos por esclarecer. Lá iremos.
Gualdino Pereira, capitão do 1.º Team
Da imprensa daquele ano, respigámos as escassas referências às actividades do Foot-Ball Grupo Vimaranense e do Sport Club Vimaranense:

No dia 4 de Maio de 1913, um grupo que dava pelo nome de 15 amigos do Porto veio em passeio a Guimarães. Uns dias antes, os sócios do Sport Club Vimaranense, reunidos em assembleia geral extraordinária, nomearam uma comissão de recepção aos seus colegas do Porto. Era constituída por Américo Rebelo, Rodrigo Ribeiro, João Fernandes, José Pinto da Rocha, Manuel Fixa, José da Silva Guimarães e António Teixeira Lopes. A notícia é de O Comércio de Guimarães de 29 de Abril daquele ano.

O jornal Alvorada de 15 de Maio de 1913 anuncia que o Sport Club Vimaranense estava a organizar um passeio ciclista, com um percurso Guimarães-Guimarães, que passaria por Vila Nova de Famalicão, Barcelos e Braga, a realizar em Junho. Para acertarem os pormenores da iniciativa, três responsáveis do Sport Club, Américo Joaquim Rebelo, Rodrigo Ribeiro e Manuel Pina, deslocaram-se às terras por onde passariam os ciclistas de Guimarães, a fim de conferenciarem com os seus colegas daquelas localidades.

As festas Gualterianas de 1913, à imagem do que sucedera no ano anterior, incluíram um número desportivo promovido pelo Sport Club Vimaranense, sob a forma de duas corridas de bicicletas, aberta a diferentes categorias de ciclistas: fortes e fracos. O regulamento da competição, publicado no jornal Alvorada de 17 de Julho, esclarecia que o Sport Club se tinha constituído com um objectivo: o desenvolvimento do sport em Guimarães.

No dia 22 de Agosto, o Sport Club organizou uma corrida de bicicletas de Guimarães a Vizela.

Avelino Ferreira, capitão do 2.º team
Já quanto às actividades do Foot-Ball Grupo Vimaranense (ou Grupo de Foot-Ball Vimaranense), apenas temos notícia, pela Illustração Católica de 22 de Novembro de 1913, da organização de uma corrida pedestre na Penha. A reportagem é acompanhada por várias fotografias, que Santos Simões reproduziu na obra de que nos temos socorrido, que podem ajudar a iluminar um pouco mais o panorama dos clubes desportivos então em actividade em Guimarães. Atente-se na seguinte fotografia de grupo que, segundo a respectiva legenda, é retrata elementos do Grupo de Foot-Ball Vimaranense:
"Grupo Foot-Ball Vimaranense promotor da corrida pedestre na encantadora montanha da Penha"

Os fotografados estão identificados: de pé - José Ribeiro, Gualdino Pereira, Pereira Mendes, Alberto Castro, José Fernandes, Manuel Pires e Belmiro de Oliveira. Sentados - Arlindo Souto, Casimiro Fernandes, António Pereira, António Abreu, Alberto Vieira (Braga), Francisco Mendes.

Alguns destes nomes já são nossos conhecidos como praticantes de futebol: Arlindo Souto, Casimiro Fernandes, Gualdino Pereira, José Fernandes e Manuel Pires. Acontece que, destes cinco jogadores, apenas o primeiro, Arlindo Souto, integrava o designado 2.º team, que corresponderia ao Foot-Ball Grupo vimaranense. Os restantes jogaram, no dia 13 de Março de 1913, pelo 1.º team, que seria o Sport Club Vimaranense.

Mas há mais dois pormenores que alimentam algumas interrogações:

Henri Platano, "instrutor inglês".
Em primeiro lugar, a presença de Henri Platano (que aparece à direita, de pé, de boné e bigode, na fotografia publicada por Almeida Ferreira), que também aparece em ambas as fotografias da Illustração Católica que retratam os dois teams vimaranenses. Aparece identificado como um dos “instrutores ingleses”. A sua presença junto das duas equipas parece evidenciar a existência de ligação entre ambas.

Em segundo lugar, é visível que os equipamentos envergados por ambas as equipas nas fotografias da Illustração Católica são os mesmos que surgem na fotografia da crónica de Almeida Ferreira. São os mesmos, mas trocados. Os jogadores que nesta última fotografia estão identificados como pertencendo ao Sport Club Vimaranense estão equipados com as camisolas com riscas mais escuras, enquanto que na outra fotografia apareciam com as camisolas de riscas mais claras. E vice-versa.

Note-se que, dos dois possíveis clubes que, em 1913, partilhavam o nome Vimaranense, apenas de um temos referência à sua existência enquanto associação, o Sport Club. Pelo anúncio publicado em Março de 1913 em dois jornais vimaranenses, percebemos que os dois teams de que se tem falado pertenciam ao mesmo grupo.

Tendo a inclinar-me para a ideia de que apenas existia um clube em Guimarães, o Sport Club Vimaranense, chamemos-lhe assim, com dois teams que, à falta de outros competidores, iam competindo entre si. Tratava-se de um clube eminentemente eclético, uma vez que nele se praticavam, pelo menos, três modalidades distintas: futebol, ciclismo e atletismo.

De qualquer modo, parece-me que fará sentido avançar que foi a partir das sementes lançadas por este Sport Club Vimaranense que, alguns anos mais tarde, surgiu o Vitória Sport Club. Há protagonistas comuns aos dois clubes e não será coincidência o facto de partilharem o nome.
Partilhar:

0 comentários: