21 de fevereiro de 2012

Da linguagem popular (4)


Mais algumas palavras e expressões populares recolhidas por Alberto Vieira Braga. Da leta C.

Cabido — Pagar foro ao cabido — ter areia na bola, macacos no sótão; atolado; zoeira.

Cachaleira — Alto das costas. Levar de cachaieira — ao carrachucho: — a cavalo no cachaço, sobre os ombros.

Cachapina — Aguardente.

Cagadeira — Cagatório, casinha, sentina.

Calhorda — Mulher mal ajeitada e feia.

Canhão — (calão) Coirão, bucho, meretriz.

Canhenho — Que é vagaroso, acanhado; canhoto, esquerdo.

Carrachucho — Levar ao carrachucho — de escacha pernas sobre os ombros.

Cerimónia — Restos de comida que ficam nos pratos.

Cheira-a-testo — Que anda sempre a meter o nariz em tudo . (Inf. de Salvador Dantas).

Cheira-cus — Cheirão; que mete o nariz em tudo, mesmo onde não é chamado.

Chibas — (pop.) Barbas.

Chincalhão — Chinquilho — jogo do fito. Vem no N. D. C. F. em sentido diverso.

Chuchapitos — Insecto verde parecido com a vaca-loira. Chumbadouro — Parte do gonzo de uma porta que fica presa à parede.

Côdea — Pouca coisa — "Comprei um fato por uma côdea; por tuta e meia, etc.

Conas, Conatas, Conêtas — Forreta, unhas-de-fome, agarradinho; maricas.

Contas-de-enfiar-vinho — Azeitonas.

Corisca — Beata, pirisca — ponta de cigarro.

Cortiço — (calão) Ir como um cortiço — como um nabo, como um anjinho; enjegrado, carregado, azul, etc. (Inf. de S. Dantas).

Cozinha-de-ferro — Carro mortuário, pintado de negro e completamente fechado.

Crôco — Que tem pouca habilidade; estúpido. O N. D. C. F. regista o t. em sentido diferente.

Cróio — (calão) Rebo, samelo, calhau. Também o mesmo que cróia — mulher desavergonhada; rameira. (Inf. de S. Dantas).

Culatrão — Mulher muito gorda; meretriz reles.

Cúnfia — (calão) Confiança; apreço, etc. "Não lhe dou cúnfia." (Inf. de S. Dantas).
Partilhar:

1 comentários:

Anónimo disse...

Há falta de animação popular, durante os fim-de-semana em Guimarães.
Pequenas "arruadas" de música, palhaços, mini folclore ou algo dogénero sem necessidade de palco, seria uma mais valia para Guimarães.
Cada vez mais, Guimarães nesses dias recebe mais gente, e o certo é que nada acontece...
Uma verdadeira tristeza!