4 de janeiro de 2012

Guimarães, segundo Craesbeeck (6)


 [Conclusão]

6. Nos exercícios fabris excede a todos os povos de Espanha; nos mais não inveja aos povos vizinhos; na política do governo é bem conhecida, pois foi a província corte Lusitana, e nela se observaram sempre os ditames ajustados da justiça; primeira Torre do Tombo; primeira nas medidas do pão, e vinho, aonde as mais comendas vinham ajustar as suas; primeira Relação; primeira Casa dos Contos: ainda hoje conservam as paredes os títulos e lugares. A nobreza apregoa o Conde de D. Pedro no seu “Nobiliário”, epílogo das ilustres famílias nela originalmente nascidas; e outras muitas se acham nos títulos do Cartório desta Colegiada, mais antigas. No serviço político, publiquem-no as coroas de D. Afonso Henriques, os bastões do grande Capitão D. Gonçalo Mendes, e de outros muitos, fechando o número e coroado Rei do Pegu, Salvador Ribeiro; na religião, os muitos conventos, os muitos Santos; e os muitos homens de Letras e Armas, que floresceram: de que tudo trata, com largueza, a “Corografia”, em capítulos particulares e de seus privilégios.

(in Francisco Xavier da Serra Craesbeeck, Memórias Ressuscitadas da Província de Entre-Douro-e-Minho no ano de 1726, Edições Carvalhos de Basto, Lda., Barcelos, 1993,pp. 85)
Partilhar:

2 comentários:

Anónimo disse...

Peço desculpa ao Dr.Amaro das Neves, por "entrar" por este meio, mas é apenas para lhe dar os parabéns, pelo artigo de opinião escrito no "Povo", sobre o estacionamento em Guimarães.
Aproveito para lhe lembrar que esqueceu (mais) um parque no miolo da cidade. Trata-se do parque coberto do novo mercado, que á semelhança dos restantes, fica a pouco mais de 300 metros do Toural...
Saudações vimaranenses.

aan disse...

Obrigado pela chamada de atenção. Tem razão.