11 de julho de 2010

Sobre a data de nascimento de Afonso Henriques



Acaba de sair, na revista Medievalista online, publicação digital da FCSH da Universidade Nova de Lisboa, dirigida por José Mattoso, um estudo de Abel Estefânio, com o título "A data de nascimento de Afonso I," em que procede à releitura das fontes mais antigas que referem, directa ou indirectamente, o nascimento de Afonso Henriques, com o objectivo de "demonstrar que a Vita Theotonii, sendo a fonte primordial, contém já em si os vestígios do «pecado original» donde procede a confusão acerca da data de nascimento do nosso primeiro rei, que perdurou até aos nossos dias".

O nascimento de Afonso Henriques é uma das zonas escuras do conhecimento histórico do tempo da Fundação. Não tem faltado por aí quem vá afirmando certezas que os documentos medievais não autorizam.

Em relação a essa matéria, José Mattoso já afirmou, contrariando algumas leituras que foram feitas da sua biografia de Afonso I, que não considera encerrado o problema da data e local do primeiro rei de Portugal. 

Sobre esta matéria, persistem hoje as dúvidas que já foram manifestadas pelo Abade de Tagilde há mais de um século:

"É tradição ininterrupta que D. Afonso Henriques nasceu em Guimarães; não conhecemos porém documento coevo que possamos apresentar no texto para comprovar este facto.

O ano do nascimento não é averiguado; as narrativas históricas publicadas no volume Scriptores dos Port. Mon. Hist. fornecem-nos as seguintes datas: 1094, 1106, 1107, 1109, 1110, 1111, 1113 (Vide Scriptores, pag. 22, 97, 91, 2, 21, 19, 11, 94). Herculano, nota XI no fim do primeiro tomo da Hist. de Port., prefere o ano de 1111."
[Vimaranis Monumenta Historica, Guimarães, 1908, pág. 77, nota 1]

No seu texto, Abel Estefânio analisa as fontes das tradições apontam o nascimento de Afonso Henriques para os anos de 1106 ou 1110, que até aos tempos que correm, desde o século XII, concluindo pela" sobrevivência, até aos nossos dias, das duas tradições surgidas em finais do século XII. As divergências de um ano para mais ou para menos, entre as diferentes fontes associadas a cada um dos dois ramos, resultam dos problemas de transmissão textual, da complexidade e da confusão entre os diferentes métodos de cálculo de datas utilizados, num tempo em que não havia calendários. Em todo caso, não encontramos argumentos que nos levem a rejeitar a hipótese de D. Afonso Henriques ter nascido em 1106, conforme se deduz da Vita Theotonii, que elegemos neste trabalho como a primeira e melhor das fontes narrativas".

Partilhar:

0 comentários: