5 de outubro de 2008

A Proclamação da República em Guimarães

A antiga Câmara Municipal de Guimarães

A República foi proclamada em Guimarães no dia 8 de Outubro de 1910, com o hasteamento da bandeira na Câmara Municipal. A imprensa que então se publicava em Guimarães, com manifestas simpatias monárquicas, acolheu a notícia da instauração do novo regime sem grande entusiasmo. O Comércio de Guimarães, por exemplo, no primeiro número que publicou já na vigência da República, optou por preencher a maior parte da sua primeira página com um texto sobre “os cuidados no lagar e o envazilhamento do vinho”, reservando algum espaço para inserir uma nota em que, sob o título “O Novo Regímen”, anunciava a sua intenção de continuar a “pugnar, como sempre o tem feito, pelos interesses morais e materiais de Guimarães”, conservando “a sua atitude de defensor dos interesses da Pátria e da Igreja”. A (breve) notícia sobre a implantação da República em Guimarães aparece quase escondida na página 3, entre uma nota curiosa que fala de “uma mesa feita com restos humanos” e uma outra sobre um “seguro contra assassinos”. Aqui fica:


Proclamação da República

Como em quase todas as terras do país, em Guimarães também houve manifestações de regozijo pelos adeptos do novo regime.

Os republicanos têm sido correctos e bastante moderados nas suas manifestações, não havendo, no meio de tanto movimento, uma única nota discordante.

A não ser vivos comentários e manifestações, nada de anormal se tem passado em Guimarães.

Algumas casas religiosas têm sido policiadas, o que a nosso ver seria desnecessário, pois cremos que todos estão no firme propósito de respeitar e fazer respeitar a lei,

No dia 8 foi solenemente proclamada a República nesta cidade,

Havia grande movimento e animação.

Foi içada a bandeira na Câmara Municipal, no meio de vivas à República, ao Exército, à Pátria, ao povo português, etc., etc.

O largo fronteiro àquele edifício achava-se repleto de povo, bem como estacionavam ali duas bandas de música e a banda regimental que fez a devida continência à bandeira.

Em seguida, também foi içada a bandeira no quartel de infantaria 20 repetindo-se as manifestações de regozijo.

Alguns dias e noites percorreu as ruas uma marcha “aux flambeaux”, vendo-se à sua frente alguns conhecidos republicanos que entusiasmados soltavam vivas e empunhavam bandeiras republicanas.

Em todo o percurso houve boa ordem, debandando tudo sem incidentes.

Alguns edifícios particulares hastearam bandeiras e iluminaram as suas fachadas.

[Comércio de Guimarães, n.º 2495, de 11 de Outubro de 1910]

Partilhar: