10 de outubro de 2007

Sobre as árvores do Toural


O Toural em 1923
No final de Fevereiro de 1929, trinta e quatro moradores do Toural, dirigiram um abaixo-assinado à Câmara Municipal de Guimarães em que solicitavam o corte ou remoção das árvores da Praça, por prejudicarem "a estética e natural beleza da praça". Aqui fica a transcrição do documento:
Ex.mo Snr.
Presidente da Comissão Administrativa
da Câmara Municipal de Guimarães
Os abaixo assinados, moradores na Praça D. Afonso Henriques, desta cidade, vêm solicitar da digníssima Comissão Administrativa, a que V. Exa. mui dignamente preside, a remoção ou corte das árvores que circundam a mesma Praça, visto que da péssima educação e irregularidade delas resulta uma má impressão e prejudica a estética e natural beleza da praça, que é digna de ser amplamente vista e admirada por todos, designadamente por quem visita esta cidade.
Ponderadas estas razões, esperam os signatários o deferimento.
Saúde e fraternidade.
Guimarães, 27 de Fevereiro de 1929
  • Gaspar Ribeiro da Silva Castro
  • Francisco Joaquim de Freitas
  • Francisco Pereira da Silva Quintas
  • Guilhermino Augusto Barreira
  • Damião Sousa Pinto
  • João Baptista de Sousa
  • J. Cardoso Guimarães
  • Benjamim Constante da Costa Matos
  • Armando Humberto Gonçalves
  • José Borges Teixeira de Barros
  • FranciscoMatos Chaves
  • Camilo Larangeiro dos Reis
  • João Garcia de Almeida Guimarães
  • Aureliano Jacinto de Sousa
  • José Fernandes Martins
  • Joaquim Larangeiro dos Reis
  • Eugénio Leite Bastos
  • José Pinheiro
  • Eduardo Pereira dos Santos
  • António Carvalho Bastos
  • Manuel Fernandes Braga
  • António Virgem dos Santos
  • Manuel Simões Sobral
  • Augusto Fernandes
  • Paulino de Magalhães
  • Alberto Gomes Alves
  • António de Almeida Cabral
  • António Ferra
  • Francisco José de Freitas
  • Pedro da Silva Freitas
  • António Lage Jordão
  • Antão Lencastre
  • João Baptista Leite de Sousa
  • Manuel José de Carvalho
O Toural em 1932
Partilhar:

4 comentários:

Anónimo disse...

34 moradores (e respectivas famílias) são muitíssimos mais do que os actuais moradores do Toural... mas e em 1929 seriam a maioria dos moradores? Quanto destes 34 e/ou respectivas descendência ainda moram no Toural? Se eu juntasse uma lista com 29 moradores da Av.S.Gonçalo a favor do derrube do estádio, que valor isso teria, especialmente 80 anos depois? Porque não tem a lista um único nome de mulher? Como os tempos mudam...

aan disse...

Acredito que o seu abaixo-assinado para o derrube do estádio não produziria qualquer efeito, excepto, talvez, alguns sorrisos. Já quanto ao dos moradores do Toural, de 1929, o efeito foi o que se viu. As árvores foram retiradas.

Pois é, os tempos mudam e as mentalidades também. Na altura havia o estatuto de chefe de família que, havendo-o, seria sempre um homem.

pcc disse...

(Por engano não me identifiquei no primeiro comentário - é meu.)
A ideia era precisamente essa, sorrisos perante uma proposta absurda, como esta do abate das árvores.
Dia 7/10 disse que a petição não teve sucesso e agora afinal as árvores sempre foram retiradas? Pela foto vê-se que sim, pelos vistos a petição teve sucesso; também houve uma petição para as recolocarem?
Nestas coisas de decoração deveriam sempre ouvir a opinião das mulheres... Homens a dar palpites de decoração às vezes sai asneira, como se pode constatar...

aan disse...

§ 6. Eu explico-lhe: no dia 7 estava convencido de que o corte não tinha sido feito, porque assim me dizia fonte que utilizei, onde consta que o corte se deu em Abril de 1939. Olhando com atenção para as fotografias, verifiquei que havia alguma coisa que não batia certo e fui verificar a uma fonte primária, onde pude verificar que estava enganado e que as árvores terão sido cortadas em Abril de 1929. Não tem mistério: o que escrevi no dia 7 foi, simplesmente, fruto da ignorância.