A Vila de Raul Brandão (2)

" ....no velho casarão negro e em osso" - Fotografia de Carlos Mesquita

Depois da Escola fui colocado como alferes no 20, em Guimarães. Outra louça. Achei-me numa casa de campo sem conforto nenhum, mas a parada da guarda era às onze entrada e tocava à ordem à uma saída. Meia dúzia de soldados no velho casarão negro e em osso, e oficiais a jogar o gamão, numa sala, ali encantados desde o princípio do Mundo. De quinze em quinze dias uma inspecção: ficava-se no quartel, mas eu, como noivo, fechava os soldados à chave, metia esta no bolso e ia dormir a casa.
Raul Brandão, Vale de Josafat, Memórias, volume III, (capítulo: Vida militar)


Sem comentários:

Com tecnologia do Blogger.