17 de abril de 2013

Efeméride do dia: A dança dos instrumentos



17 de Abril de 1732
Os mercadores da vila, 21 de pano de cor e 9 de pano de linho, passam procuração, na nota de Jerónimo Luís Machado, aos licenciados Manuel Pereira Soares, António de Freitas Sampaio e António de Lima Melo, advogados nesta vila, a Marcos Fernandes Machado e Pedro Gomes, aos licenciados Bartolomeu Moreira do Couto, Macário Rodrigues Cação e Joaquim Machado Almeida, advogados na cidade do Porto, e aos solicitadores Francisco Lourenço Cerqueira e António Ferreira de Araújo, para lhes defenderem uma causa que traziam com a Câmara, sobre os quererem tirar da "sua posse de dança do instrumento" que costumavam dar na procissão de Corpu Christi, pervertendo-lha em uma outra coisa. A Câmara queria que eles dessem os Anjos e não a dança dos instrumentos.
(João Lopes de Faria, Efemérides Vimaranenses, manuscrito da Biblioteca da Sociedade Martins Sarmento, vol. II, p. 48)

Antigamente, não havia em Guimarães festa religiosa ou pública onde não houvesse danças e folias. Eram manifestações de teatro ao gosto popular “com tanto ruído, extravagância e confusão que os que andam nela[s] parecem doudos”, como escreveu Rafael Bluteau no seu dicionário. Das festas do Corpo de Deus, organizadas pela Câmara cinquenta dias depois do domingo de Páscoa, conhece-se mais de uma dezena de danças e folias, a maior parte das quais repartidas pelos homens dos diferentes ofícios, que tinham a obrigação de as dar (organizar e custear). Entre elas, havia a dança dos instrumentos, que era assegurada pelos mercadores de panos da vila. Estas obrigações originavam, com frequência, litígios entre os que as tinham de dar e a Câmara. Assim aconteceu em 1732, quando a Câmara pretendeu desapossar aqueles mercadores da sua posse da dança dos instrumentos, por querer que eles dessem um outro contributo  para a festa. Não estiveram pelos ajustes.
Destas antigas tradições, apenas sobreviveram até aos nossos dias as Danças de S. Nicolau, dadas pelos estudantes de Guimarães ao seu santo padroeiro.
Partilhar:

0 comentários: