Vêm aí os russos?

Visualizações de páginas das Memórias de Araduca no dia 28 de Novembro de 2017.
Hoje está a acontecer por aqui algo nunca visto. Ao abrir o editor do blogue, logo pela manhã, percebi que havia por ali um movimento fora do comum. O número de visualizações de páginas era anormalmente alto para aquela hora. Cerca de 5.000. Fui tentar perceber de onde vinha aquela multidão e percebi que tinha origem… na Rússia! Mais de 3.000 dos que perambularam pelas Memórias de Araduca no dia de hoje, até esta hora, fazem-no a partir de servidores situados no antigo país dos sovietes. Mais de 63%, quando, no resto do mês, a percentagem dos leitores originários da Rússia se cifrava um pouco abaixo de uns, ainda assim generosos, 0,6%. Não tenho explicação para tamanha popularidade entre gente que, creio bem, não percebe patavina do que por aqui se publica. No entanto, não posso ignorar o que se tem dito sobre hackers russos que, alegadamente, têm interferido na vida política de diversos países e regiões deste nosso Mundo. Eu, que até podia dizer, como o outro, que no creo en brujas, pero que las hay, las hay, não tenho a presunção de ser tão relevante ao ponto de despertar o interesse de tal gente, a não ser por equívoco.
Tentando perceber o que se terá desencadeado um interesse assim tão repentino, verifico que há uma palavra nunca, antes aqui vertida, que usei na última noite pela primeira vez nestas Memórias de Araduca: terrorismo. Terá sido ela que terá feito soar campainhas dos vigilantes da Mãe Rússia?



Sem comentários:

Com tecnologia do Blogger.