Avançar para o conteúdo principal

As Poesias de António Lobo de Carvalho (46)

Súplica que fazem os Franciscanos, e os Dominicos a el-Rei, contra os seus Provinciais Fr. Póvoa, e Fr. Rocha.



Por altos, grão Senhor, santos motivos
Ir devem para Angola desterrados
Essa vil, torpe escória de prelados,
Que à Igreja, e ao Estado são nocivos.

Um Póvoa, e Rocha são dois ateus vivos,
Fanchonos, libertinos relaxados,
Charlatães, comedores esfaimados,
De todo o pedantismo dois arquivos.

Confiados no abono de censores *
Com torpe despotismo governando,
Das monásticas leis são desertores:

O seu santo instituto relaxando,
Vivem sem religião os dois doutores,
Comendo quanto os frades vão ganhando.


*Ambos eram membros do Tribunal da Mesa Censória, que o Marquês do Pombal estabelecera para a censura dos livros.

Comentários