24 de março de 2013

Justiça divina ou justiça popular?


No dia 11 de Agosto de 1842, as gentes de Vizela viram-se livres de um perigoso malfeitor que espalhava o terror na região. Certa noite, João da Costa apareceu varado a tiro. Teve direito a notícia na Revista Universal Lisbonense. Lida esta, fica a dúvida sobre se o facínora não seria, afinal, um pobre pilha-galinhas.


QUEM COM FERROS MATA COM FERROS MORRE

Em a noite de 11 de Agosto, no sítio de Pedra Longa, onde partem as freguesias de. S. Miguel e S. João, proximidades de Guimarães, apareceu morto, de tiro, um façanhoso ladrão e assassino por nome João da Costa, antigo terror daquelas vizinhanças; todo o espólio que junto ao cadáver se encontro foram uma cabaça com vinho, e num saco uma galinha e quatro frangões. Todos os que puderam o foram ver, não ainda sem um resto de terror, e dando muitas graças a Deus de haver desassombrado as suas terras daquele javali. A mão desconhecida do seu vingador foi geralmente abençoada.

Revista Universal Lisbonense, volume 1, 1841-1842, 8 de de Setembro de 1842, p. 557
Partilhar:

0 comentários: