29 de março de 2013

Efeméride do dia: 1649, morre Rui Gomes Golias


Relicário do Museu de Alberto Sampaio com o "tornozelo" (aliás, calcanhar) de S. Torcato

29 de Março de 1649:
Falece o dr. Rui Gomes Golias, filho de Ambrósio Vaz Golias e de Inês de Guimarães, da casa da rua dos Fornos, Lamelas. Foi o 7.º cónego mestre-escola da Colegiada e o que, indo com outros cónegos, notário apostólico, etc, em 1637 fazer a abertura do túmulo de S. Torcato, arrancou um tornozelo ao mesmo Santo, cuja relíquia se guarda no tesouro da Colegiada.
(João Lopes de Faria, Efemérides Vimaranenses, manuscrito da Biblioteca da Sociedade Martins Sarmento, vol. I, p. 311 V.)
O acto inaudito do reverendo Rui Gomes Golias referido nesta efeméride foi já relatado num texto já aqui publicado, que agora, em parte, se transcreve:

No dia 14 de Julho de 1637, uma delegação da Colegiada foi à sepultura de S. Torcato; para colocar uma guarnição de pedraria, que de novo se quer plantar sobre ela, para mor segurança das relíquias. Os cónegos resolveram inspeccionar o túmulo, que mandaram abrir, verificando que o corpo estava inteiro, organizado e incorporado em carne e osso, mirrado, o rosto virado para a banda esquerda, com olhos, nariz, boca, barba e orelha, perfeitamente compostos de modo que bem mostrava as feições de homem. No auto que se fez da abertura da sepultura do glorioso S. Torcato ficou o registo detalhado do conteúdo do sepulcro.
Esta visita a S. Torcato iria dar que falar, estando na origem de uma causa envolvendo; alguns cónegos de Guimarães e o vigário de S. Torcato, sobre a qual o Cabido de Braga emitiria uma Provisão, em Outubro de 1641, ordenando que sobre o assunto se fizesse perpétuo silêncio.
O motivo se tal querela foi uma ocorrência bizarra, que teve lugar durante aquela inspecção: o mestre-escola da Colegiada, Dr. Rui Gomes Golias, fundador do morgado das Lamelas, arrancou, com os dentes, o osso de um dos tornozelos de S. Torcato, que levou para a capela da sua casa, na rua do Forno (que hoje acolhe o Arquivo Municipal). Após a morte do mestre-escola, o osso de S. Torcato ficou ao cuidado das suas três sobrinhas, que acabaram por a entregar à Colegiada. Nas vésperas do Natal de 1662, uma procissão solene fez a trasladação da relíquia da capela das Lamelas para a Colegiada, com o acompanhamento do D. Prior, D. Diogo Lobo da Silveira, do Cabido, da Câmara e mais autoridades da Vila, dos frades de S. Domingos e de S. Francisco, da nobreza, que tomou as varas do pálio, da música da Colegiada, de danças e de muita povo. A solenidade terminou com uma missa, no fim da qual a relíquia foi dada a beijar a todos os assistentes.

O osso que o Mestre-Escola da Colegiada arrancou com os dentes não é, como facilmente se verifica, da canela, mas sim do calcanhar.
A Casa das Lamelas, que pertenceu a Rui Gomes Golias (este último sobrenome vinha-lhe do facto de ser muito corpulento),  é a mesma que depois ficou conhecida por Casa dos Navarros de Andrade e que hoje acolhe o Arquivo Municipal de Guimarães.
Partilhar:

0 comentários: