Avançar para o conteúdo principal

Mensagens

A mostrar mensagens de Outubro, 2010

Esclarecimento

A propósito das notícias acerca das retribuições pagas pela Fundação Cidade de Guimarães que têm vindo a público e que amplificam rumores e especulações que vão circulando, nomeadamente pela Internet, alguns dos quais particularmente ofensivos e injustos, tenho a esclarecer, pela parte que me toca, o seguinte:
1. Faço parte do Conselho Geral da Fundação Cidade de Guimarães em representação da Sociedade Martins Sarmento, por designação da Câmara Municipal de Guimarães, sufragada em reunião da vereação.
2. Não tive qualquer participação na definição da política remuneratória da FCG, da qual apenas agora tomei conhecimento (até aqui, apenas conhecia o valor das senhas de presença dos vogais do Conselho Geral da FCG).
3. Integro a direcção da Sociedade Martins Sarmento há 20 anos, exercendo as funções de Presidente da Direcção desde meados de 2004, sem nunca ter recebido um cêntimo de retribuição pelo trabalho que desenvolvo na instituição (antes pelo contrário, já que continuo a pagar as m…

A CEC2012 e a Comunicação - Uma reflexão que se impõe

Nem todos teremos reparado, mas já passaram quatro anos sobre o anúncio de que Guimarães seria Capital Europeia da Cultura no, então ainda distante, ano de 2012. A cidade recebeu a boa nova com assombro não disfarçado e manifesto encantamento. Um dos responsáveis pela selecção das cidades capitais da cultura, Robert Scott, classificaria a indicação de Guimarães como uma "oportunidade fantástica" para a cidade. Guimarães fez questão de dizer que não a iria desperdiçar. A mobilização foi instantânea. Antecipando o chamamento geral, os vimaranenses disseram presente. E, desde logo, ia ficando claro, no discurso dos responsáveis, que se evitariam erros passados.
Por aquela altura, alguém notou que a verdadeira dimensão do sucesso de 2012 só se avaliaria quando, com distanciamento bastante, porventura em 2020, olhando em volta, se perceber o que a Capital Europeia da Cultura terá mudado em Guimarães. Ainda estamos longe dessa avaliação que, estou certo, será francamente positiva. …

5 de Outubro de 1910: o princípio e o fim do “Correio de Guimarães”

"E o Porto e a província? -pergunto eu ao Chagas. - Que me importa a província! Que importa mesmo o Porto! -A república fazemo-la depois pelo telégrafo."
Raul Brandão, Memórias I


Tendo a revolução republicana arrancado no dia 4 de Outubro de 1910, a proclamação da República aconteceu em Lisboa, já no dia 5. Os primeiros jornais do Porto com notícias da queda da monarquia em Lisboa chegaram a Guimarães na manhã do dia 6. Entretanto, já circulavam, por entre rumores e boatos que o corte do fio do telégrafo entre Lisboa e Porto ajudava a alimentar, informações sobre algo de grave que estaria a acontecer na capital. O primeiro jornal a dar a notícia da revolução em Guimarães usava o título de Notícias de Guimarães, e era de orientação monárquica, tendência progressista. Aí se escreveu:

"Pelas parcas informações até nós chegadas pelos jornais do Porto, apenas podemos apresentar, como boato, aos nossos prezados, que alguns exércitos de Lisboa, juntamente com grande número de pop…